A Acacia Mangium é uma árvore capaz de produzir madeira de excelente qualidade, crescer 5 m/ano ou 321,93 m3/ha em 5 anos e produtos apícolas e tanino de boa aceitação nos mercados nacional e internacional. Na Índia, a espécie vem sendo empregada em substituição à Teca (Tectona grandis), com vantagem e maior lucratividade.

Sua madeira é largamente utilizada nas indústrias de base florestal para a fabricação de papel e celulose; móveis de excelente qualidade, portas, carvão, MDF, madeira-cimento, aglomerados, laminados, tábua de fibra de madeira e cimento (WWCB), OSB e moradias, a exemplo do que vêm sendo feito nas Filipinas.

As novas leis ambientais proíbem a extração de madeiras das florestas naturais, conseqüentemente, madeiras de reflorestamento valorizaram muito nos mercados nacional e internacional, assegurando excelentes rendimentos financeiros aos investidores.

Além do retorno econômico garantido, o reflorestamento de Acacia Mangium permite a recuperação dos solos degradados e impróprios para a agricultura.

Com a instituição das novas políticas de despoluição da atmosfera (retirada de COatmosférico), as empresas poluidoras dos países desenvolvidos pagarão aos reflorestadores pela remoção do COlançado na atmosfera. Preços estes que têm oscilado entre US$20 e US$100,00 por tonelada de carbono retirado. Deste modo, a fixação de COpela Acacia Mangium pode proporcionar ganhos adicionais de até US$558.00/ha/ano, mediante a venda de bônus. Esta nova oportunidade de investimento levou a estudar a espécie e desenvolver variedades adaptadas aos mais diferentes climas brasileiros.

No Norte do Brasil, empresários Suíços e Canadenses estão concluindo o plantio de 100.000 hectares de Acacia Mangium, para o abastecimento de uma fábrica de papel e celulose, onde estão investindo 300 milhões de dólares.

A partir de um plantio de Acacia Mangium com seis anos de idade, o empresário poderá formar um grande patrimônio, com retorno garantido, por não importar madeiras de outras regiões e pela venda líquida e certa da madeira excedente.

De fácil cultivo e manutenção, a floresta poderá ser formada e manejada para produção de madeiras para os mais variados fins, sendo que aquelas madeiras de menores diâmetros terão aplicação imediata nas padarias, pizzarias e olarias, antecipando receitas financeiras.

As árvores adultas atingem alturas de 25 a 35 m e 1,10 m de diâmetro e sua elevada capacidade de fertilização e estabilização de solos, têm permitido sua utilização vantajosa no consórcio com café, no sombreamento de cacaueiros, na recuperação de solos bem como na contensão de encostas e rodovias.

Uma floresta de Acacia Mangium trará grande segurança aos empresários, por atender à reposição florestal exigida por lei, por proteger suas terras da erosão, por garantir a manutenção das nascentes de água, por constituir patrimônio de fácil e rápida liquidez e por assegurar a continuidade dos seus negócios.

A rusticidade e o rápido crescimento da espécie possibilitam o aproveitamento e a recuperação das terras impróprias para a agricultura; enquanto a sua boa madeira e elevada produtividade (64,6 m3/ha/ano) permitem o suprimento de madeira na fazenda.

O risco de insucesso no investimento feito no plantio de Acacia Mangium pode ser considerado desprezível, visto que de quase 30.000 hectares desta espécie plantada em diferentes regiões do Brasil, não se registrou nenhum prejuízo.

 

 

Fonte: http://www.castro.to/fazendas/acacia.html